Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Notícias > Festival Literário 2019
Início do conteúdo da página

Festival Literário 2019

Publicado: Sexta, 14 de Agosto de 2020, 14h47 | Última atualização em Sexta, 14 de Agosto de 2020, 14h47

Palestras, lançamentos de livros  e  apresentações culturas marcaram o 1º FLIF

Foto 6 Diálogos A mulher e a Literatura com as escritoras Fernanda Valin Marcela Marques Waléria Loyade e Madu MacedoCom a slogan “Um voo para a imaginação”, a primeira edição da Feira do Livro do Instituto Federal – Campus Pouso Alegre aconteceu nos dias 24, 25 e 26 de outubro de 2019 e trouxe palestras e bate-papo com escritores, apresentações culturais, lançamento de livros, concurso literário, oficinas, exposições, apresentação de curtas e exposição de livros e artesanatos.

A Nova Velha Banda abriu o evento na quinta-feira. Houve o relançamento do livro "Josias do Timboré", pelo Museu Histórico de Pouso Alegre e, em seguida, um bate-papo sobre A mulher e a Literatura” com as escritoras Fernanda Valin, Marcela Marques, Waléria Loyade e Madu Macedo.

“Assistimos as lutas para que as mulheres se autorrepresentem na literatura. Chegou um momento em que outras vozes querem narrar suas próprias narrativas, da maneira como elas querem, construindo os personagens como elas querem, especialmente na literatura negra isso está sendo muito forte e necessário. Que bom que a FLIF, nesse primeiro evento vem chamar a literatura para o primeiro plano porque temos muito a dizer, vem chamar a importância da leitura e da escrita para esse contexto que estamos vivendo agora”, disse a professora e escritora Fernanda Valin.

2º dia
Na sexta-feira, a FLIF recebeu a visita de estudantes das escolas públicas municipais de Pouso Alegre. Depois de percorrerem os estandes de livros e Foto 11 Contação de histórias para alunos da rede pública municipalartesanato, os estudantes participaram de oficinas de dança Flamenca, escrita criativa, desenho e fotografia. Os visitantes também se divertiram com as contações de história com a servidora pública Michelle Araújo e puderam conhecer o livro de pano “As quatro estações” da Associação Cora Minas, o Livro “Universo Infinito”, de Cristiana Libânio Vilhena e a segunda edição da revista "Tagarelas Magazine", todos lançados no evento.

“Entre livros e saberes: o despertar da leitura” foi o tema da palestra com Luís Antônio Torelli, membro da Câmara Brasileira de Livros. Torelli fez uma reflexão sobre a leitura no Brasil e sobre a importância da internet na formação de novos leitores. “Eu não condeno a internet, ela veio pra ficar, é uma realidade. Temos que pensar como tirar proveito daquilo que a internet conquistou de espaço principalmente da leitura”, disse. O ex-presidente da CBL ainda falou da responsabilidade do Governo e das universidades na mudança dos números “vexatórios” que o Brasil apresenta hoje quando o assunto é leitura. “Dando oportunidade, fazendo eventos como esse, isso ajuda muito. É o contato do livro com o leitor”.

A palestra foi seguida pela exibição e debate dos curtas Sanduíche, Indígenas, Telelesão, Pizza e Arme-se do Cine Sesc.

“Um verdadeiro banho de cultura. Essa proposta de incentivo à literatura, à leitura precisa ser levada a sério, ser valorizada. A cidade necessita muito de eventos como esse” ressaltou a escritora e artista plástica Waléria Loyade.

Os grupos de atabaques “Coração das Matas” e de capoeira “Abadá Capoeira” movimentaram o último dia da FLIF. “É muito bom incentivar os jovens à leitura, tirar ele um pouco do celular”, disse Cristiano Aparecido de Oliveira, instrutor de capoeira.

“Nossa comunidade é muito carente desse contato com a leitura, com os livros, cultura e tudo o que possa tirar os nossos meninos da ociosidade para que eles possam se dedicar à cultura em si. E que eles aprendam a pensar através da arte novos rumos para a nossa nação”, falou a professora aposentada Maria Lúcia Ferreira.

3º dia
Foto 17 Apresentação da peça A Revolução dos Bichos durante a Flif 2019O sábado ainda trouxe a apresentação das poesias finalistas do concurso que recebeu textos de todas as escolas públicas de Pouso Alegre. Foram cerca de 150 poesias. “Só de estar participando do evento eu já me senti super bem e fiquei muito feliz por ganhar o primeiro lugar no concurso. Eu sempre gostei de escrever, redações, poesias na escola ou pra mim mesma em casa”, contou Aline de Souza Martins, aluna da escola Dom Otávio, que venceu o concurso na categoria ensino fundamental.

“A arte da escrita” foi o tema de um bate-papo com os escritores Isais Pascoal, Paulo Roberto Labegaline, Fernando Alves Sales e Fernando Henrique do Vale. “Faz tempo que não vejo em Pouso Alegre uma feira literária e isso incentiva a nós que estamos nesse mercado literário ao incentivar a população à leitura”, disse o escritor pouso-alegrense Fernando do Vale.

A FLIF ainda fez o lançamento dos livros "Em Solidão o Solo é Fértil", da escritora Bárbara Rosa e
“Discurso e Performance”, de Atílio Catosso Salles. No encerramento, alunos dos cursos integrados do Campus Pouso Alegre encenaram a peça “A Revolução dos Bichos”, baseada na obra do escritor de George Orwell.

Para a professora Tânia Mara dos Santos, a FLIF é um ganho para a cidade. “As crianças precisam ter o contato com os livros, com esse mundo que é imaginário. Vejo que quando uma criança pega um livro, ela se encanta, os olhos brilham porque vai além do que ela consegue enxergar. Ela viaja para outros lugares sem estar lá, consegue se envolver, despertar para coisas boas, para um encontro com ela mesma. A FLIF vem para agregar valores, o desejo de querer aprender, transformar o mundo e de construir a aprendizagem de forma significativa”.

registrado em:
Fim do conteúdo da página