Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Notícias > Mudança de hábito
Início do conteúdo da página

Mudança de hábito

Publicado: Terça, 29 de Dezembro de 2020, 11h18 | Última atualização em Terça, 29 de Dezembro de 2020, 11h29

Alunos de Engenharia Química aplicam o Programa 5S nos laboratórios do Campus

vídeo

VÍDEO SOBRE O PROGRAMA 5S DESENVOLVIDO PELOS ALUNOS

A ideia foi apresentada no trabalho de conclusão de curso dos alunos Lucas Souza e Carolina Carvalho. Eles desenvolveram um vídeo e cartazes que serão afixados nos laboratórios de Química e de Engenharia Química do Campus visando otimizar as condições de ensino e pesquisa desses espaços. “Chegamos ao entendimento de que o Programa 5S seria uma ferramenta muito útil em prol das melhorias almejadas e as mídias elaboradas possuem o objetivo de promover o programa para a comunidade acadêmica”, explicou Lucas.

O 5S é um programa de gestão de qualidade empresarial desenvolvido no Japão que visa aperfeiçoar aspectos como organização, limpeza e padronização. “É como uma preparação de terreno, uma mudança de hábito e um pré-requisito para a qualidade. Ao seguir cada um dos cinco passos do programa é possível implantar um processo de melhoria da organização”, explicam os alunos no vídeo.

A junção no número “5” com a letra “S” vem de cinco palavras japonesas que começam com S:

Seiri – Senso de utilização
Seiton – Senso de organização
Seiso – Senso de limpeza
Seiketsu – Senso de padronização
Shitsuke – Senso de disciplina

Fases do Programa 5S:

1. SEIRI
Este primeiro senso do programa 5S significa “seleção”, e tem como objetivo determinar quais materiais, ferramentas, dados e equipamentos devem ser considerados importantes, bem como quais são os itens supérfluos, de forma a manter no ambiente apenas o que for relevante e destinar o restante para descarte ou outras áreas que possam utilizar.

2. SEITON
No senso de “organização“, determina-se que todos os itens a serem utilizados de forma comum devem ficar disponíveis em locais determinados do processo. E, no caso de serem utilizados no dia a dia, ao alcance da mão, de forma a facilitar o acesso imediato. Para isso, cabe a utilização de diversas estratégias e padrões que devem ser fixados, como locais específicos, uso de placas e etiquetas, marcações, etc.

3. SEISO
O terceiro senso do programa 5S significa “limpeza“. Um ambiente limpo sempre chama atenção e tem o poder de influenciar as pessoas de forma positiva. Com base nisso, esse senso possui como objetivo facilitar a limpeza em um ambiente de trabalho eliminando a sujeira, assim como objetos desnecessários ao ambiente. Além de exercer a limpeza, o terceiro S define como prioridade o entendimento de quais são os motivos que podem estar causando a sujeira de forma a estabelecer medidas preventivas que diminuam a necessidade da execução de atividades de limpeza.

4. SEIKETSU
Após a faxina, o próximo passo é a “padronização“. Alguns valores e normas de comportamento precisam ser tornados cultura da empresa, de forma a garantir que exista uma conscientização sobre as melhores atitudes a serem tomadas. Uma boa ideia é traduzir as necessidades em, além de normas, fixar placas na parede, utilizar formas, iluminação, placas, etc. Neste senso, a principal finalidade é garantir que os três primeiros S (seleção, organização e limpeza) não se percam. 


5. SHITSUKI
A última fase do programa 5S é a “autodisciplina“. Sua missão é baseada no comprometimento com as etapas anteriores e depende muito da autogestão. E seu objetivo é controlar e manter a disciplina entre os colaboradores de forma que todos os “S” sejam mantidos e aplicados de forma contínua.  Nessa fase do programa, é importante que a ferramenta não seja encarada como um dever, mas sim como uma filosofia de trabalho, podendo assim oferecer benefícios a curto, médio e longo prazo.

Assessoria de Comunicação
Informações: Fluxo Consultoria
IFSULDEMINAS – Campus Pouso Alegre

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página