Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Notícias > Meus Pésames
Início do conteúdo da página

Meus Pésames

Publicado: Quarta, 29 de Julho de 2020, 12h53 | Última atualização em Sexta, 31 de Julho de 2020, 14h17

Do improviso nos palcos um aprendizado para a vida. Ex-integrantes contam como foi a experiência de participar do projeto

Recepção integrado 116Criado em 2013 o grupo de improviso cênico do IFSULDEMINAS – Campus Pouso Alegre já realizou diversas apresentações culturais dentro do Campus e em eventos regionais. O grupo é pautado em séries de dinâmicas que invadiram os grupos de teatro e até alguns programas de televisão no início dos anos 2000, como o “5ª Categoria”, da extinta MTV Brasileira; “É tudo Improviso”, da Rede Bandeirantes de Televisão e, principalmente, canais na internet, como o Youtube, com programas como “Os Barbixas”.

Os ensaios começaram tímidos, como uma brincadeira, uma forma de descontração. Em março de 2014, o grupo era batizado com o nome ‘Meus Pésames’ em sua primeira apresentação em um evento no campus e não parou mais. Do ponto de vista da interação entre seus membros, o grupo é um exemplo à parte. A consciência da importância e da relevância do trabalho em equipe é frisada a todo o momento.

“Quando um jogo é proposto, a dupla, o trio (ou grupos maiores) que se dispõe a jogá-lo Recepção integrado 118tem que possuir o que chamamos de feeling cênico, perceber o que seu colega de cena vai criar para ‘entrar no jogo dele’. Como o jogo é de improvisação, não há planejamento prévio das cenas. Sendo assim, além da cumplicidade que já é peculiar a todos do grupo, o jogo desperta uma necessidade de pensamento rápido, criatividade, desenvoltura e habilidade para solucionar problemas dos mais diversos. Este fato se reflete na vida escolar dos alunos, que se soltam mais em sala de aula no momento de apresentação de trabalhos, debates e exposições de ideias”, contou o professor de Artes e idealizador do projeto, Emerson Simões.

Tiago Francisco Pereira é um dos atuais monitores do grupo e fala da experiência inesquecível que é estar nos Meus Pésames. “Desde a ligação que você cria com os outros membros até as reações da plateia durante as apresentações, o projeto me traz uma sensação que é como se eu pudesse dançar com as estrelas, é algo mágico e incrível. Eu poderia destacar que ele me ajuda na escola e fora dela em âmbitos de socialização e até proporciona uma certa realização”.

 

O que aprendi com o Meus Pésames…

Marcelo“O projeto me ajudou bastante a perder a vergonha de falar em público e  desenvolver um pensamento rápido para algumas ações, pois tudo isso é necessário para conseguir improvisar no palco e pensar de forma rápida na cena. Até hoje uso tudo o que aprendi no projeto, muitas vezes nem percebo, mas ajuda nas apresentações de trabalho, entrevistas de estágio e soluções de problemas. Também me ajudou muito no meu tempo de IF. Como eu morava sozinho em Pouso Alegre, acabou sendo a família que eu não tinha presente.” - Marcelo Magalhães Silva, ex-aluno de Informática e um dos fundadores do grupo. Hoje cursa Ciências da Computação na UNIFEI.

 

Julia“Minha passagem pelo grupo foi muito intensa. No início eu era muito tímida, muito retraída e hoje eu sou uma pessoa muito diferente, amo falar em público, adoro ser professora, participar de congressos e consegui desenvolver essas habilidades justamente porque o Meus Pésames me expôs a várias situações onde que tive que lidar com o público e entender o que ele queria me passar. No final do curso no IF eu estava passando por um momento de mudanças de opinião, de cabeça e o grupo era esse meu alívio cômico que me ajudou a focar nos estudos e como pessoa. O projeto me ajudou demais, coisas que ficaram intrínsecas na minha personalidade além da convivência com as pessoas que foram muito queridas comigo. Foi uma experiência riquíssima e não tenho nada pra dizer que não valeu a pena.” - Júlia Maria Almeida da Silva, Ex-aluna de Informática. Hoje cursa Psicologia e é professora de inglês.

 

Leandro“Pra mim é difícil separar minha passagem pelo IF da minha passagem dos Meus Pésames. Com certeza os meus três anos não seriam os mesmos se eu não tivesse participado do projeto e eu também não seria o mesmo se não tivesse participado, foi impactante na formação da minha personalidade. Passei de uma pessoa muito insegura e tímida para outra com capacidade de falar em público e o fato de ser um projeto de improviso me ajudou a não ter medo de errar, o que acho muito importante para a carreira que escolhi seguir.” - Leandro Souza Nowacki, aluno do IF de 2015 a 2017. Hoje cursa Física na Universidade de São Paulo.

 


tiago“O projeto Meus Pésames me auxiliou muito durante todo o ensino médio/técnico, foi muito importante para meu desenvolvimento pessoal, pois consegui me tornar mais confiante naquilo que fazia, sem medo de ser julgado tendo em vista a inclusão proposta pelo projeto, além de toda a diversão durante os treinos e as apresentações. Participar do projeto foi, sem dúvidas, uma das melhores experiências no IF, além de me aproximar de muitas pessoas pude fazer, junto com toda a equipe, a alegria de alguns durante esse período tão marcante na vida de um estudante.” - Tiago de Morais Pereira – ex-aluno de Informática do IF. Hoje cursa Engenharia da Computação pelo Instituto Nacional de Telecomunicações - INATEL 


daniel“O projeto me ajudou muito não apenas nas atividades acadêmicas, mas em outras coisas na minha vida. Sinto que criei uma desenvoltura muito maior, habilidade de falar em público, habilidade de comunicação, desenvolvi um senso de liderança muito grande, além das amizades que construí no projeto. Além do teatro de improviso, o Meus Pésames também me apresentou para o teatro clássico. Além do grupo, também fiz parte do Cia dos Péssimos e, antes dessa pandemia do coronavírus eu estava cogitando entrar para um grupo de teatro por hobby. Com certeza, o Meus Pésames me fez gostar do fazer arte. Hoje eu olho diferente para o teatro e, com certeza eu quero preservar isso na minha vida.” - Daniel Augusto Teixeira Venâncio. Estudou no IF de 2017 a 2019. Hoje cursa Engenharia da Computação na Universidade Federal de Itajubá.


Breno“Desde pequeno era apaixonado por um grupo chamado ‘Barbichas’, que tinham um programa de improviso cênico na MTV. Eles faziam o que o Meus Pésames faz. Participar do grupo foi a maior chance que eu tive de me aproximar daquilo que era um sonho pra mim. O projeto me ajudou muito dentro do IF. Era um Breno antes e outro depois dos Meus Pésames. Antes de começar a me apresentar e me tornar monitor no projeto eu era apenas mais um aluno no curso Técnico de Edificações. Depois que comecei a me apresentar no campus e em festivais, os outros alunos me conheciam, eu era o Breno dos Meus Pésames. Eu não era apenas conhecido, passei a ter um lugar no IF. Aqui fora, o projeto tem me ajudado a resolver melhor as coisas, porque a gente treinava muito para nossas apresentações. As pessoas pensam que no projeto não há ensaio, mas não é assim, é preciso muito treino. Hoje eu entendo que a disciplina que a gente tinha, a força de vontade para fazer acontecer, a determinação, o trabalho em equipe são valores que eu ainda levo para minha vida.” - Breno Almeida Gianini Prado – Ex- alunos de Edificações do IF. Hoje cursa Cursa Engenharia Civil no IFSULDEMINAS – Campus Pouso Alegre

 

Saiba mais sobre o Meus Pésames na redes sociais do projeto:

intagrancia_mpesames                                          facebook logo icon 134446  mpesames


Assessoria de Comunicação
IFSULDEMINAS – Campus Pouso Alegre

 

LEIA TAMBÉM: (Participação do Grupo em Eventos)

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página